top of page
  • Equipe Joice Peruzzi

Bebê a bordo? Confira dicas de como adaptar seu pet para este momento!

A chegada de um membro da família em uma residência revoluciona o ambiente e a rotina. Não é diferente para cães e gatos, que, como parte da família, não podem ficar de fora desse momento.

Assim como os humanos se preparam para a chegada de uma criança, cães e gatos devem ser preparados também. Seguem algumas orientações do que fazer ANTES da chegada do bebê/criança na casa:


• Durante a gravidez a mamãe deve refletir sobre o que rotineiramente faz com seu cão ou gato que não vai poder fazer quando o bebê nascer: passear, se responsabilizar pela alimentação, brincadeiras, ida ao banho, etc. Tudo isso já deve ser mudado antes da chegada do bebê, nos últimos meses de gestação, passando a responsabilidade para outra pessoa da casa.


• Cães devem ser ensinados a não ter acesso a todos os cômodos o tempo todo, pois as interações com crianças são sempre supervisionadas, então, colocar um portão na porta do quarto do bebê ou corredor que dá acesso aos quartos (decisões individualizadas) ainda na gestação é fundamental.


• Acostumar os pets com movimentação de bebê conforto e carrinho de bebê, brinquedos com sons e até as roupinhas que chegam também é importante. Para isso, associe esses artefatos com petisco, preferencialmente estimulando comportamentos calmos do animal nesse momento.


• O som de bebês recém nascidos é uma novidade para a maioria dos pets. Habituá-los a esses sons antes da chegada do bebê é mais um ponto que merece atenção e isso pode ser feito com gravações de bebês no youtube ou de bebês conhecidos, sempre associando a algo positivo, como comida, brincadeira, etc.

Adaptil (cães) e Feliway Classic (gatos).

• Nas as semanas anteriores à chegada da criança ou durante o processo de mudança de móveis e reforma (quando necessário) recorremos à feromonioterapia para tornar o ambiente mais confortável, facilitando a adaptação do cão ou gato a essa importante mudança. No caso dos cães, Adaptil difusor e no caso dos gatos, Feliway Classic. Nenhum deles tem efeito em humanos e não há contra indicações do uso próximo a crianças.


IMPORTANTE: se o cão ou gato apresentam comportamentos indesejados que podem afetar mais ainda a família nesse momento, é fundamental tratá-los antes da chegada da criança. Tudo preparado para a chegada do bebê! O que fazer quando chegar da maternidade?

Primeiro: durante o período em que a mamãe ficar fora de casa é fundamental que alguém se responsabilize por manter a rotina do animal. Se ninguém da família puder, vale adaptar previamente os animais a um pet sitter ou em um hotel.

Antes mesmo do bebê chegar em casa podemos "apresentá-lo" ao pet, trazendo para ele uma roupinha ou lençol do bebê para a ele já conhecer o cheirinho do novo humano.


No primeiro contato de retorno da maternidade pode ser interessante que o bebê fique no colo de outra pessoa e a mamãe possa ficar um tempo com o pet, matando a saudade. Depois, quando ele estiver calmo, podemos pedir comandos que ele saiba (para cães) com petiscos saborosos, brincar ou usar catnip e finalizar com um sachê gostoso para gatos. Aí sim, com calma, se tudo parecer bem, pode haver a primeira cheirada no pé do mini humano, com muito elogio verbal, petiscos e brincadeiras.


Não deve ser nada muito invasivo, aos poucos vamos construindo essa relação com o novo membro da família.

Ao longo do processo de crescimento do bebê, cães e gatos devem acompanhar o processo com ressalvas:

  • Tentar manter a rotina do animal.

  • Ter momentos de aproximação somente com supervisão total.

  • Nem sempre é indicado que a criança seja estimulada a tocar no animal, depende de cada situação. Mas interações com brinquedos, varinhas longas, escovas de cerdas macias podem ser indicadas.

Nós amamos preparar famílias para esse momento. Dá um frio na barriga quando atendemos um cão ou gato com alguma questão comportamental e ao final da entrevista a mamãe fala: "e tem mais um detalhe... estou grávida" ou "estamos em processo de adoção de uma criança". Mas abraçamos a família e focamos no bem-estar de todos envolvidos, para que esse momento que é um turbilhão seja mais suave.


Sabemos que, infelizmente, muitas famílias optam por se desfazer do seu animal de estimação quando chega uma criança, por isso amamos todos nossos clientes que jamais cogitam essa possibilidade...afinal de contas, o cão ou gato é o irmão mais velho do humaninho que vem aí!


43 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Por que os gatos esfregam as bochechas?

Esfregar as bochechas em objetos ou em pessoas/outros animais, além de ser uma postura afiliativa (que demonstra relaxamento ou querer a aproximação do outro), também é uma forma de comunicação olfati

Comentários


bottom of page